Revista Entremeios
ISSN 1809-0338 (impresso)
ISSN 2526-9496 (online)
Publicação Anual
   Rio de Janeiro, 09/05/2021

Edição: Volume 11, 2015
Voltar  Busca Avançcada
Edicções
inicio do conteúdo
 
O Homem com Dispositivos: Revisitando Vertov
Por: Flavia Junqueira


Dziga Vertov afirmava que graças ao Cine-Olho era possível construir o homem ideal, adaptado à realidade a sua volta. Hoje, a tecnologia digital nos permite construir quantos eus quisermos, adaptados a qualquer situação como melhor convier. Embasados nos conceitos de dispositivo e contemporâneo de Giorgio Agamben, pretendemos pensar como a ideia de montagem de Vertov, levada a cabo por ele no cinema, foi radicalizada e tornou-se uma forte característica na subjetividade contemporânea.

Palavras-chave
Dispositivo; Contemporâneo; Cinema; Vertov; Montagem.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .


Dziga Vertov said that, thanks to Cine-Eye, it was possible to construct the ideal man adapted to the reality surrounding him. Today, digital technology allows us to build as many selves as we want to best fit any given situation. Based on Giorgio Agamben’s concepts of device and contemporary, this paper intends to understand how Vertov’s idea of montage, carried out by him in cinema, has been radicalized and became a strong characteristic of contemporary subjectivity.

Key-words:
Device; Contemporary; Cinema; Vertov; Montage.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .


O Homem com Dispositivos


Edição: Volume 11, 2015


Versão para impressão:
fim do conteúdo
          "Acrobat Reader", (Visualizar, pesquisar e imprimir arquivos PDF). Faça o download gratuíto.
rosca